Festas Judaicas



A COMUNIDADE



A COMUNIDADE JUDAICA, KEHILAT OHEL YACOV - ACKOY DE EUNÁPOLIS BAHIA, SAUDA A TODOS OS VISITANTES DO NOSSO SITE, COM UM SHANAH TOVAH 5775 DOCE COMO O MEL SABOROSO COMO A MAÇÃ E CHEIO DE GRANDES E BOAS REALIZAÇÕES, E MUITA PROSPERIDADE, ESPIRITUAL E MATERIAL.

       A DIREÇÃO. 




A COMUNIDADE JUDAICA, KEHILAT OHEL YACOV - ACKOY DE EUNÁPOLIS BAHIA, SAUDA A TODOS OS VISITANTES DO NOSSO SITE, COM UM SHANAH TOVAH 5775 DOCE COMO O MEL SABOROSO COMO A MAÇÃ E CHEIO DE GRANDES E BOAS REALIZAÇÕES, E MUITA PROSPERIDADE, ESPIRITUAL E MATERIAL.

       A DIREÇÃO. 




A COMUNIDADE JUDAICA, KEHILAT OHEL YACOV - ACKOY DE EUNÁPOLIS BAHIA, SAUDA A TODOS OS VISITANTES DO NOSSO SITE, COM UM SHANAH TOVAH 5775 DOCE COMO O MEL SABOROSO COMO A MAÇÃ E CHEIO DE GRANDES E BOAS REALIZAÇÕES, E MUITA PROSPERIDADE, ESPIRITUAL E MATERIAL.

       A DIREÇÃO. 




A COMUNIDADE JUDAICA, KEHILAT OHEL YACOV - ACKOY DE EUNÁPOLIS BAHIA, SAUDA A TODOS OS VISITANTES DO NOSSO SITE, COM UM SHANAH TOVAH 5775 DOCE COMO O MEL SABOROSO COMO A MAÇÃ E CHEIO DE GRANDES E BOAS REALIZAÇÕES, E MUITA PROSPERIDADE, ESPIRITUAL E MATERIAL.

       A DIREÇÃO. 



Shavuot


                                                                       SHAVUOT

 

 

O Festival das Semanas (também o Festival da Outorga da Torá e do Festival das Primícias), Shavuot é um feriado comemorado anualmente pela comunidade judaica. A data não é fixa, mas cai 49 dias após o segundo dia da Páscoa (período conhecido como a Contagem do Omer). Qüinquagésimo dia (e fora de Israel, também o quinquagésimo primeiro dia) é Shavuot. Este feriado comemora a entrega da Torá para a nação israelita. "E tu observar a festa das semanas, mesmo dos primeiros frutos da colheita do trigo, ea festa da colheita na virada do ano." Êxodo 34:22 "Além disso, no dia das primícias, quando vos trazer uma nova oferta de cereais ao Senhor na sua festa das semanas, tereis uma santa convocação: fareis nenhum trabalho servil." Números 28:26 Durante Shavuot, nenhum trabalho é feito. Em Shavuot noite, celebrantes ficar acordado estudando e meditando sobre a Torá. Um poema litúrgico, o Akdamot (também Akdamut ou Akdamus) é lido. O Livro de Ruth é lido no sinagogas durante o segundo dia de Shavuot (quando é comemorado), como o dia é também o aniversário da morte do rei David. As casas são enfeitadas com exposições de plantas, frutas e flores. Também é costume servir uma refeição de leite durante o feriado que pode incluir cheesecake e panquecas. Temas de Shavuot incluem uvas, romãs, cevada, uma cesta de prata ou ouro de frutas, chalá ou outro pão de forma especial, azeitonas, tâmaras e trigo; também os Dez Mandamentos e da Torá.O feriado de Shavuot é um feriado de dois dias, começando no pôr do sol do dia 5 de Sivan e duradoura até o anoitecer do dia 7 de Sivan. (Em Israel é um feriado de um dia, terminando ao anoitecer do dia 6 de Sivan).

Mulheres e meninas acender velas de férias para inaugurar o feriado, tanto na primeira e segunda noites das férias.É costume de ficar acordado a noite toda estudando Torá na primeira noite de Shavuot.Todos os homens, mulheres e crianças devem ir à sinagoga no primeiro dia de Shavuot para ouvir a leitura dos Dez Mandamentos.Como em outros feriados, refeições especiais são consumidos, e não "trabalho" pode ser realizada.É costume comer laticínios em Shavuot. Entre outras razões, este comemora o fato de que, ao receber a Torá, incluindo os kosher leis, o povo judeu não podia cozinhar a carne em seus vasos, que teve ainda a serem prestados kosher.No segundo dia de Shavuot, o Yizkor serviço memorial é recitado.Algumas comunidades ler o Livro de Ruth publicamente, como o Rei Davi, cujo falecimento ocorreu neste dia, era descendente de Rute, moabita.

O que é Shavuot?

 

Shavuot é o dia da outorga da Torá. Segundo dos três maiores Dias Festivos (Pêssach é o primeiro e Sucot o terceiro).

 

A palavra Shavuot significa "semanas": assinala a compleição das sete semanas entre Pêssach e Shavuot (o período do ômer), durante o qual o povo judeu preparou-se para a Outorga da Torá. Durante este tempo, purificou-se das cicatrizes da escravidão e tornou-se uma nação sagrada, pronta a entrar em uma aliança eterna com D'us.

 

Nomes adicionais

 Shavuot é também chamada de Atsêret, que significa a Compleição, porque juntamente com Pêssach, completa uma unidade. Ganhamos nossa liberdade em Pêssach a fim de recebermos a Torá em Shavuot.

Outro nome para Shavuot é Yom Habicurim, ou o Dia dos Primeiros Frutos. Numa expressão de agradecimento a D'us, começando em Shavuot, cada fazendeiro na terra de Israel levava ao Templo Sagrado uma oferenda do primeiro trigo, cevada, uvas, figos, romãs, azeitonas e tâmaras que cresciam no campo.

Shavuot é também chamado Chag Hacatsir, a Festa da Colheita, porque o trigo, o último dos grãos a ficar pronto para ser cortado, era colhido nesta época do ano.

A Outorga da Torá

A Torá foi outorgada por D'us ao povo judeu no Monte Sinai no ano 2448.

A revelação de D'us perante milhões de testemunhas atesta a verdade da Torá. Nunca houve outra cena antiga com tantas testemunhas e nenhum fato histórico nestas dimensões, transmitido de geração em geração sem interrupção. Este evento espiritual de longo alcance atingiu a essência da alma judia daquele tempo e para sempre. Nossos sábios a compararam ao casamento de D'us com o povo judeu. Todos os anos, neste dia, renovamos nossa aceitação do presente de D'us.

 

O que é a Torá?

 

A Torá é composta de duas partes: a Lei Escrita e a Lei Oral. A Torá escrita contém os Cinco Livros de Moshê, os Profetas e os Escritos. Juntamente com a Torá Escrita, Moshê recebeu também a Lei Oral, que explica e esclarece a Lei Escrita. Foi transmitida oralmente de geração a geração e finalmente transcrita no Talmud e Midrash.

A palavra "Torá" significa instrução ou orientação. A palavra "mitsvá" significa tanto mandamento como conexão. Há 613 mandamentos. Os positivos (Faça), totalizando 248, são equivalentes ao número de órgãos no corpo humano. Os 365 negativos (não faça) são equivalentes ao número de vasos sanguíneos no corpo humano).

Através do estudo de Torá e cumprimento das mitsvot conectamos a nós e ao ambiente a D'us. O propósito de D'us ao criar o mundo é para que santifiquemos toda a Criação, imbuindo-a de santidade e espiritualidade.

 

Por que a Torá foi outorgada no Monte Sinai, no meio de um deserto?

A Torá foi outorgada em um local público sem proprietário para que nenhuma nação do mundo declarasse que não têm uma porção nela. Qualquer povo que a deseje aceitar é bem vindo a fazê-lo. Além disto, o Monte Sinai nos ensina a ter humildade, pois era a mais humilde de todas as montanhas.

O papel dos filhos:Nossos sábios relatam que, antes de D'us outorgar a Torá ao Seu povo, Ele pediu fiadores. Os judeus fizeram uma série de sugestões, todas rejeitadas por D'us, até que declararam: “Nossos filhos serão os fiadores de que o povo judeu guardará a Torá”. D'us os aceitou imediatamente e concordou em dar a Torá.

 

Como comemorarAs atividades proibidas no Shabat também o são em Shavuot, com exceção de carregar num domínio público e cozinhar (se for utilizado fogo de uma chama acesa desde a véspera).

• Em Shavuot os tefilin não são colocados

 

Véspera de Shavuot

 

Terça-feira 14/05/2013

Adornando a casa com folhagens e flores

 

Em Shavuot costuma-se enfeitar a casa e a sinagoga com frutas, flores e folhagens. O motivo disso é que na época do Templo Sagrado, os primeiros frutos da colheita eram oferecidos em Shavuot. Nossos Sábios relatam também que, embora o Monte Sinai se localizasse em um deserto, quando a Torá foi outorgada a montanha floresceu e muitas flores brotaram.

 

Acendimento das velas de Yom Tov

A véspera de Shavuot este ano (2013) será dia 14 de maio, terça-feira. Antes de acender as velas no horário indicado para a sua cidade, lembre-se de deixar uma chama ou vela votiva pré acesa. Como há a proibição de fazer fogo no dia de Yom Tov e lembrando que você terá que acender novamente as velas no segundo dia de Shavuot, deverá fazê-lo transferindo o fogo da vela votiva ou desta chama, já que existe a permissão de manusear o fogo, mas não de criá-lo, riscando o fósforo. No segundo dia, 15 de maio, acenda as velas somente após o completo anoitecer (após 18h08 em S. Paulo).

 

Acenda as velas de Shavuot às 17h13 (S. Paulo) recitando as seguintes bênçãos:

 

1. Baruch Atá A-do-nai E-lo-hê-nu Mêlech Haolam, asher kideshánu bemitsvotav, vetsivánu lehadlic ner shel Yom Tov.

 

2. Baruch Atá A-do-nai E-lo-hê-nu Mêlech Haolam, shehecheyánu vekiyemánu vehiguiánu lizman hazê.

 

Estudando na noite de Shavuot

Na primeira noite de Shavuot os judeus de todo o mundo cumprem o costume milenar de dedicar toda uma noite ao estudo de Torá. A tradição judaica relata que D'us apareceu no Monte Sinai ao nascer do dia para pronunciar os Dez Mandamentos, mas o povo não se levantou cedo. Foi necessário que D'us os despertasse. Para retificar esta falha, os homens permanecem acordados na primeira noite de Shavuot recitando passagens da Torá.

Veja: Estudos a noite inteira

 

Quarta-feira, 15/05/2013

1º dia de Shavuot

 

Os Dez Mandamentos:Shavuot é o dia no qual celebramos a grande revelação da Outorga da Torá no Monte Sinai, no ano 2448. As almas de todos os judeus de todos os tempos juntaram-se para ouvir os Dez Mandamentos, transmitidos pelo próprio D'us.

Em Shavuot, na realidade, D'us está nos dando novamente a Torá. Por isso, o Rebe conclamou que todo judeu, homem, mulher, e especialmente crianças (até mesmo bebês recém-nascidos) devem fazer todo o esforço para estarem presentes numa sinagoga durante a leitura dos Dez Mandamentos.

 

O Livro de Ruth:Em muitas sinagogas lê-se o Livro de Ruth no segundo dia de Shavuot. Há vários motivos para este costume:

A - Shavuot é a data de nascimento e yahrzeit (dia de falecimento) do Rei David, e o Livro de Ruth registra sua ancestralidade. Ruth e seu marido Boaz foram os bisavós do Rei David.

B - As cenas de colheita, descritas no Livro de Ruth, são apropriadas ao Festival da Colheita.

C - Ruth foi uma convertida sincera que abraçou o judaísmo de todo o coração. Em Shavuot, todos os judeus foram como convertidos, tendo aceitado a Torá e todos seus preceitos.

 

Refeição de leite

No almoço, após o kidush, faça uma refeição festiva de laticínios. Espere no mínimo1h de intervalo para realizar uma refeição de carne.

Acendimento das velas de Yom Tov: Acenda as velas (utilizando uma chama pré-acesa desde a véspera de Shavuot, terça-feira), após às 18h08 (S. Paulo), recitando as as seguintes bênçãos:

 

1. Baruch Atá A-do-nai E-lo-hê-nu Mêlech Haolam, asher kideshánu bemitsvotav, vetsivánu lehadlic ner shel Yom Tov.

 

2. Baruch Atá A-do-nai E-lo-hê-nu Mêlech Haolam, shehecheyánu vekiyemánu vehiguiánu lizman hazê.

 

•Antes da refeição festiva da noite, recite o kidush de Yom Tov.

 

Quinta-feira 16/05/2013

2º dia de Shavuot

 

Yizcor

 

Recita-se Yizcor em memória de entes queridos falecidos.

 Antes da refeição festiva, recite o kidush de Yom Tov.

 


Shavuot (Festa das Semanas )


Shavuot — Festa das Semanas

 

• Erev Shavuot — 5 Sivan.

 

Shavuot — 6 Sivan (na Diáspora também no dia 7)

 

Shavuot, a Festa das Semanas , é um dos três festivais de peregrinação (Shalosh regalim) ordenados na Torá. Shavuot marca o fim da contagem do Omer, o período entre Pessach e Shavuot. De acordo com a tradição rabínica, os Dez Mandamentos foram dados neste dia ao Povo de Israel reunido na base do Monte Sinai. Durante esta festa, a porção da Torá que contém os Dez Mandamentos é lida na sinagoga, assim como o Livro de Rute. É tradição comer alimentos lácteos durante Shavuot.


Lag Ba'Omer ( Festa Camprestre-Fogueira)


Lag Ba'Omer

 

Lag Ba'Omer ( literalmente "33 do Omer") é o 33º dia da contagem do Omer. É o número 33 em Hebreu. As restrições de luto em relação a actividades alegres existentes no período do Omer são levantadas em Lag Ba'Omer e há normalmente celebrações com churrascos, fogueiras e brincadeiras com arcos e flechas para as crinças. Em Israel, nos dias anteriores à festa, os jovens costumam reunir materiais para fazer grandes fogueiras ao ar livre.


Pessach (Saida dos Judeus do Egito) 14 Nissan


O Pessach

 

O Pessach - a festa da Páscoa judaica - é comemorado por sete dias. Ele tem início com uma cerimônia na noite do 14º dia do mês de Nisan (o primeiro mês do calendário judaico). Em todo o mundo, as famílias judaicas reúnem-se para o seder do Pessach, ceia ritual em que relembram a libertação dos hebreus, depois de um longo período de cativeiro no Egito, há mais de 34 séculos. Assim, o sentido da cerimônia é o de louvar a libertação.

 

O seder é dividido em 15 partes, iniciando-se com orações e um gole de vinho. A criança mais nova da família inicia o ritual com quatro perguntas em forma de canto sobre o sentido das cerimônias e a saída dos judeus do Egito. Passa-se então às leituras da Hagadá, livro que conta a história da libertação do povo hebreu, escravizado no Egito. Por essa leitura procura-se ensinar às futuras gerações por que aquela noite não é como as outras.

 

Seder do Pessach, a ceia judaica. O pão (sem fermento), denominado matsá. Esse alimento simboliza o êxodo dos hebreus que, na pressa de deixar o Egito, não podiam esperar que o pão fermentasse. A matsá é comida até hoje durante os dias do Pessach. Também faz parte da tradição comer ovos, símbolo da vida eterna; raiz forte e folhas amargas, que lembram as amarguras da escravidão; um purê de maçãs ou tâmaras, que representa a argamassa utilizada pelos escravos nas construções das pirâmides do Egito.

 

No Pessach são as crianças que conduzem a festa. Cabe a elas abrir a porta para a visita de Elias que, segundo a tradição, visita todos os lares nesta noite para trazer suas bênçãos. As crianças demonstram, abrindo as portas, a segurança de estarem sob a proteção de Deus. São elas também que participam da busca do afikoman, um pedaço de matsá que os mais velhos escondem pela casa.


• Purim ( Libertação dos Judeus) --14 Adar


Purim

 

Erev Purim e Jejum de Ester conhecido como "Ta'anit Ester" — 13 Adar

 

Purim — 14 Adar

 

Shushan Purim — 15 Adar

 

• Nos anos bissextos do calendário judaico, Purim é observado no Segundo mês de Adar (Adar Sheni).

 

Purim comemora os eventos descritos no Livro de Ester. Esta festa é celebrada pela leitura pública na sinagoga da história da Rainha Ester, durante a qual se fazem fortes ruídos cada vez que é mencionado o nome de Haman. Em Purim é tradição usar disfarces e máscaras e distribuir os Mishloach Manot (entrega de presentes de comida e bebida) aos pobres e necessitados. Em Israel também é tradição organizar marchas festivas, conhecidas como Ad-De'lo-Yada, nas ruas principais das cidades. Por vezes, as crianças mascaram-se e representam a história de Ester para os seus pais.


Tu Bishvat (Novo Ano das Árvores) 15 Shevat


Tu Bishvat - Novo Ano das Árvores

 

Tu Bishvat — 15 Shevat

 

Tu Bishvat é o ano novo para as árvores. De acordo com a Mishná, ele marca o dia em que os dizimos da fruta são contados em cada ano. Além disso, marca o ponto em que são contadas tanto a proibição bíblica de comer os frutos das árvores nos seus três primeiros anos, e a obrigação de trazer a orlá (fruto do quarto ano) ao Templo de Jerusalém. Nos tempos modernos, é celebrado comendo vários frutos e nozes associadas à Terra de Israel. Também é costume organizar actividades de plantação de árvores, em especial com as crianças.


Chanucá (Festas das Luzes) 25 Kislev


Chanucá — Festas das Luzes

 

• Erev Chanucá — 24 Kislev

 

Chanucá - 25 Kislev

 

A história de Chanucá é preservada nos dois Livros dos Macabeus. Estes livros não são parte do Tanach (Bíblia Hebraica). Eles são considerados livros apócrifos. O milagre do pote de óleo de um dia ter, milagrosamente, durado oito dias, é descrito no Talmude.

Chanucá marca a derrota das forças do Império Seleucida que tentaram evitar que o Povo de Israel praticasse o Judaísmo. Macabeu e os seus irmãos destruíram forças poderosas, e fizeram a rededicação religisoa do Templo de Jerusalém. Os oito dias do festival de são marcados pelo acendimento de velas — uma na primeira noite, duas na segunda noite, e assim sucessivamente — usando um candelabro especial chamado Chanukkiá, ou menorá de Chanucá.


Shemini Atzeret e Simchat Torá


Shemini Atzeret e Simchat Torá

 

Simchat Torá significa "Alegria da Torá". Na verdade refere-se a uma cerimónia especial que tem lugar no feriado de Shemini Atzeret. Este feriado segue-se imediatamente à conclusão do festival de Sucot. EmIsrael, Shemini Atzeret dura um dia e inclui a celebração de Simchat Torá. Fora de Israel, Shemini Atzeret é uma festa de dois dias e Simchat Torá é observado no segundo dia, o qual é em geral referido pelo nome da cerimónia.

A última porção da Torá é lida, completando o ciclo anual de leituras, seguido do primeiro capítulo do Génesis. Os serviços religiosos são especialmente festivos, e todos os presentes, jovens e adultos, tomam parte na celebração. Um dos costumes mais populares é a retirada dos rolos da Torá da Arca Sagrada, e dançar eles na sinagoga. Em algumas comunidades, as danças decorrem também pelas ruas.


Sucot (Festa das Cabanas) 15-21 Tshrei


Sucot (Festa das Cabanas) 15-21 Tshrei

 

Sucot é um festival que dura 7 dias, também conhecido como a Festa dos Tabernáculos. É um dos três festivais de peregrinação mencionados naTorá. A palavra sucot é o plural da palavra hebraica sucá, que significa cabana. Os Judeus são ordenados a residir em cabanas durante o período da festa. Isto geralmente significa comer as refeições, mas alguns dormem também na sucá. Existem regras específicas para construir uma sucá. O sétimo dia do festival é chamado Hoshaná Rabá.

-Erev Sucot — 14 Tishrei

-Sucot — 15–21 Tishrei ( dia 22 fora de Israel)

 


Yom Kippur (Dia do Perdão) 10 Tishrei


 

Yom Kipur ( dia do perdão)

 

Yom Kippur é considerado pelos Judeus como o mais santo e solene dia do ano. Nele, é dado especial ênfase ao perdão e à reconciliação. Comer, beber, tomar banho, untar-se com óleo, e relações íntimas são proibidas. O jejum começa ao pôr-do-sol, e termina depois da caída da noite no dia seguinte. Os serviços religiosos de Yom Kippur começam com a reza conhecida como Kol Nidrei, que tem de ser recitada antes do pôr-do-sol. Kol Nidrei, que em Aramaico significa "todos os votos", é a anulação pública de votos ou juramentos religiosos feitos por judeus durante o ano anterior. Apenas diz respeito a votos não cumpridos, feitos entre a pessoa e Deus, e não cancela ou anula os votos feitos entre pessoas.

 

O Talit (um xaile de orações de quatro pontas) é colocado para as rezas da noite; a única reza nocturna do ano em que isso é feito. A Ne'ilá é um serviço religioso especial realizado apenas no dia de Yom Kippur, e prende-se com o encerramento da festividade. O Yom Kippur termina com o toque do shofar, que marca a conclusão do jejum. É sempre observado como uma fetividade de um dia apenas, tanto em Israel como nas comunidades da Diáspora judaica.




Kehilat Ohel Yacov - Comunidade Judaica Sefaradi Ortodoxa de Eunápolis
Todos os direitos reservados.